Arquivo da Categoria: combate à depressão

Exercício Físico, é mesmo indispensável?

Exercício Físico, é mesmo indispensável?

Pela_sua_saude

O que faria se estivesse à sua disposição a solução para aumentar a sua qualidade de vida e, por acréscimo, o seu tempo de vida?!

Com certeza está curioso, não é verdade? Pois bem, a solução que falamos aqui é o exercício físico! Se antigamente seria motivo de espanto sair de casa para andar a pé, hoje em dia é uma questão de saúde pública. As actividades profissionais sedentárias, o conforto do automóvel e a maravilha dos aparelhos domésticos têm reduzido o exercício físico diário ao “quase nada”. Por consequência, utilizamos cada vez menos as potencialidades do nosso corpo, o que é decisivo para o desenvolvimento de doenças comuns nos nossos dias (por exemplo: insónia; enxaquecas; prisão de ventre; obesidade; hipertensão arterial; diabetes; osteoporose; enfarte…a lista continua…). Por outro lado,
a falta de exercício físico também acarreta consequências negativas para a saúde emocional, estando na origem de queixas igualmente comuns, tais como: stress; ansiedade; depressão; isolamento; baixa auto-estima; entre outros.

Se ainda não está convencido em fazer do exercício físico um hábito na sua rotina, apresentamos-lhe as cinco razões que o farão mudar de ideias:

O_seu_coração
O seu coração! Falando sobre o seu sistema cardiovascular os benefícios de fazer exercício físico são muito significativos. A actividade física regular estimula a circulação sanguínea e acelera os batimentos cardíacos, o que melhora a irrigação dos músculos inactivos e dos órgãos internos (inclusive o cérebro). A pressão arterial aumenta durante o esforço físico, no entanto, a médio e longo prazo esta diminui, o que é fundamental para pessoas com hipertensão arterial. Também evita a coagulação do sangue e facilita a dissolução de coágulos, prevenindo assim a trombose e o enfarte.

A_sua_respiraçãoA sua respiração! O exercício físico torna a sua respiração mais eficiente, isto é, aumenta a profundidade e a frequência da respiração, melhorando assim a oxigenação do sangue que passa pelos pulmões. Também auxilia a expulsão da mucosidade retida nas vias respiratórias, pelo que constitui uma mais-valia para pessoas com problemas respiratórios (bronquite; asma; etc.).

A_sua_peleA sua pele! Está comprovado que o exercício físico melhora a irrigação sanguínea e a hidratação da pele. Contribui igualmente para eliminar os inestéticos depósitos de gordura, isto é, a celulite e tonificar o seu corpo. Desta forma, poderá devolver aos seus tecidos a rigidez e elasticidade perdidas por culpa da inactividade, do avançar dos anos e dos hábitos de vida sedentários.

O_seu_sonoO seu sono! Que tal poder voltar a dormir como um bebé?! A investigação norte-americana levada a cabo pela NationalSleep Foundation veio comprovar que apenas 10 minutos de exercício físico produzem melhoras na duração e na qualidade dos ciclos de sono. As insónias ou as más noites de sono estão em muito relacionadas com ansiedade, stress ou simplesmente com a dificuldade em relaxar a fim de adormecer. É durante o esforço físico que é libertado um neurotransmissor – a endorfina – muito importante para a sensação de bem-estar e de relaxamento, e que é indispensável para uma boa noite de sono! Mas, tome nota: o exercício físico deve ser feito, no máximo, até seis horas antes de ir dormir.

A_sua_menteA sua mente! Estudos revelam que um estilo de vida activo e a prática regular de exercício físico permitem controlar os níveis de ansiedade e stress, e inclusive, reduzir os estados depressivos. A falta de exercício físico é um factor preponderante para o aparecimento de depressão e de ansiedade, para além de que a sua prática permite libertar tensões, emoções e frustrações, fruto dos dias exigentes que caracterizam a vida moderna. Para alguns especialistas o exercício físico é tão eficaz na diminuição da ansiedade e da depressão quanto os tratamentos psicoterapêuticos e farmacológicos, com a vantagem de ser mais saudável e económico. Em suma, poderá encontrar no exercício físico os seguintes benefícios emocionais: melhora da auto-imagem e auto-estima, melhora da sensação de bem-estar e do humor; aumento da capacidade para lidar com os factores psicossociais destress e diminuição dos estados de tensão.

Já convencido a mudar para os trajes desportivos? Com certeza que sim! Lembre-se apenas, o importante não é a intensidade do treino mas a sua regularidade e, na hora de escolher, opte por uma actividade física da sua preferência, só assim fará da prática do exercício físico uma rotina para a vida toda!

 

 

Óleo de peixe reduz depressão em rapazes

Os peixes gordos contêm ácidos gordos ómega 3, que incluem os EPA (eicosapentaenóico) e os DHA (docosahexaenóico). Dado que estes nutrientes influem no funcionamento cerebral, muitos investigadores têm questionado se o seu consumo poderia reduzir o risco de desenvolvimento de depressão. Embora a relação entre o consumo destes peixes por adultos e a frequência da depressão tenha sido analisada, até ao momento ainda não tinha sido avaliada essa relação entre adolescentes, um grupo propenso à depressão. Tendo por base esse objectivo, a equipa da Universidade de Tóquio, no Japão, analisou as duas variáveis (dieta e depressão) em mais de 6.500 estudantes japoneses do ensino secundário, com idades entre os 12 e os 15 anos.

Desse total, 23% dos rapazes e 31% das raparigas tinham sintomas depressivos, tais como baixa auto-estima, falta de esperança e alterações no sono. Da avaliação dos questionários sobre alimentação, e depois de se considerarem outros factores como idade e educação dos pais, os investigadores verificaram que os rapazes que comiam mais peixe (o quinto superior da escala de consumo) tinham uma possibilidade 27% inferior de estarem deprimidos, em comparação à dos rapazes que consumiam menos peixe.

Contudo, esta relação não foi constatada nas raparigas.

Flávio Matta

oleo de peixeoleo de peixe2oleo de peixe3

 

Visite-nos em www.topfarma.com.pt